É possível ser um grande líder sem ter conhecimento técnico?

Tempo de leitura: 4 minutos

Existe uma ideia bastante difundida em nossa sociedade, de que as habilidades que você precisa para ser um líder são mais ou menos “transferíveis”.

Se você pode inspirar e motivar as pessoas em uma arena, você tem o necessário para aplicar essas habilidades em outro local, como uma empresa.

Mas pesquisas recentes estão desafiando esta noção.

Estudos sugerem que os melhores líderes sabem muito sobre o território em que estão liderando, e parte do que os faz bem-sucedidos no papel de liderança é a competência técnica.

Ser um líder é preciso ter conhecimento técnico

Por exemplo, os hospitais administrados por médicos apresentam melhores resultados do que aqueles gerenciados por pessoas com outros contextos.

E há muitos exemplos por aí de pessoas que eram excelentes líderes em uma empresa, e tiveram problemas para liderar em uma empresa de segmento diferente.

Em muitas escolas que lecionam matérias que envolvem liderança, existe um amplo consenso sobre os principais elementos do que os líderes precisam saber e ter.

Esses fatores incluem: a capacidade de motivar a si mesmo e outros, uma excelente comunicação oral, boa escrita, habilidades de pensamento crítico, capacidade de resolução de problemas e habilidades em trabalhar com equipes e delegar tarefas.

Superficialmente, essa parece ser uma boa lista.

Os bons líderes realmente têm essas habilidades e, se você quer criar futuros líderes, pode ter certeza de que essas habilidades são uma boa aposta.

Líderes precisam pegar um grande volume de informações e destilá-las, separando aquelas que são os elementos essenciais que definem os problemas a serem resolvidos.

Líderes precisam organizar equipes para resolver esses problemas e comunicá-los a um grupo, fazendo com que toda (s) a (s) equipe (s) compartilhe (m) de uma visão comum.

Eles precisam estabelecer uma relação de confiança com um grupo e, em seguida, usar essa confiança para permitir que a equipe realize mais do que poderia realizar sozinha.

Mas essas habilidades por si só não vão fazer um líder.

Para um líder realmente se destacar na prática, ele também precisa de muita experiência em um segmento específico.

Por exemplo, vamos pegar uma dessas habilidades: pensar criticamente para encontrar a essência de uma situação.

Para fazer isso bem, você deve ter conhecimentos técnicos específicos.

A informação crítica que um médico precisa diagnosticar um paciente é diferente do conhecimento usado para entender um impasse político.

E a maneira de cumprir com ambas as tarefas de maneira satisfatória também é completamente diferente nessas situações.

Mesmo a comunicação eficaz difere de um segmento para outro.

Um líder conversando com sua equipe

Os médicos que falam com os pacientes devem comunicar a informação ao paciente de maneira totalmente diferente da forma com que políticos devem comunicar medidas à população em relação a um desastre natural.

Ou então de um CEO que está mediante um processo de demissão em massa, tendo que comunicar isso aos seus colaboradores.

Quando você começa a olhar para qualquer uma das principais habilidades que os líderes têm, torna-se claro que o conhecimento específico do segmento está vinculado em todos eles.

E até mesmo o segmento pode exigir domínio em um segmento ainda mais específico.

Por exemplo, você pode ser um expert em vendas, mas vendas de materiais de construção, de semicondutores, calçados e software são completamente diferentes entre si.

“Mas se falta experiência para o líder, basta com que ele se cerque de pessoas com esse conhecimento!”, é uma resposta bastante comum diante esse problema.

Mas, sem conhecimentos aprofundado do segmento em que está atuando, como esses líderes podem saber que encontraram as pessoas certas para lhes dar informações?

Um líder diante de sua equipe

Se os gestores não podem avaliar por conta própria as informações que estão recebendo, eles não terão condições de liderar de forma eficaz.

Nos dias atuais, é muito comum que uma pessoa troque de empresa várias vezes durante sua carreira, e muitas vezes essas mudanças são bastante bruscas, explorando segmentos completamente diferentes uns dos outros.

Por isso, antes de colocar alguém em um cargo de liderança em sua empresa, avalie se essa pessoa seria mesmo um bom líder no segmento em que sua empresa atua, dessa maneira você pode economizar muito tempo, dinheiro e dores de cabeça!

Bons negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *