Empreendedores novatos: saiba qual é o erro mais comum

Tempo de leitura: 2 minutos

Muitos micro, pequenos e médios empreendedores pecam no mesmo quesito: não se importar com o planejamento financeiro do seu negócio.

Sem ter uma visão clara da saúde financeira da sua empresa, esses empreendedores acabam misturando – e até priorizando – seus gastos pessoais com os da empresa.

Isso mata a geração de fluxo de caixa, expansão, desenvolvimento de novos produtos e – não raramente – leva o negócio à falência.

Mas, não é só o empreendedor gastão que faz mal ao negócio.

Aqueles que priorizam apenas a saúde da empresa se sobrecarregam e tiram pouco para o seu salário, passando dificuldade mensalmente, mesmo com a empresa vendendo bem o seu produto ou serviço.

No primeiro caso, a impressão que fica é que a empresa está indo mal das pernas, pois nunca tem dinheiro em caixa.

Mas isso pode acontecer mesmo com ela vendendo bem, mas a confusão com gastos pessoais faz com que se tenha uma visão errada da situação.

Já no segundo, o empreendedor vira um “escravo” do seu negócio.

Não há quem aguente se matar de trabalhar para não colher nenhum fruto do seu trabalho!

Realmente as finanças dos pequenos empreendimentos não raramente são problemáticas.

Pode ficar menos inconformado, não é exclusividade sua.

Muitas empresas fecham as portas precocemente exatamente porque o planejamento econômico da empresa é mal feito.

Leia também: Aprendendo com a Mãe Natureza: uma lição para empreendedores

Mas o que fazer para sair dessa “sinuca de bico”?

1) Separe o dinheiro pessoal do dinheiro da empresa
Sem isso é impossível dimensionar o resultado real do seu negócio e nem avaliar a situação financeira real, tanto sua quanto da empresa.

Crie duas contas bancárias separadas, de preferência no mesmo banco (para evitar taxas de transferência), foque as entradas e saídas de dinheiro da empresa numa conta, defina um pró-labore fixo e o deposite na outra conta.

Assim você terá estabilidade para as duas partes.

2) Acompanhe os resultados da sua empresa mensalmente
O uso de dashboards pode auxiliar o controle financeiro da sua empresa.

Registrando todas as métricas-chave para a gestão financeira da sua empresa e tornando essas métricas acessíveis, irá lhe dar uma maior segurança em relação às finanças.

3) Saiba a margem de contribuição dos seus produtos
Calcule quanto fica de dinheiro para a empresa após o fechamento da venda e o pagamento do fornecedor.

Equilibre o seu portfólio entre produtos que possuem boa margem de contribuição e produtos que possuem grande potencial de venda.

4) Faça um planejamento financeiro do seu negócio
Projete as receitas e despesas previstas para os próximos seis meses e some ao que você tem de caixa hoje, assim saberá a necessidade de capital do seu negócio para esse período de tempo.

Com esta prática você também poderá saber se seu negócio pode fazer novos investimentos, pagar mais dividendos ou expandir para outra localidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *