O que é o Caminho Crítico e como dominá-lo? – Guia Completo

Tempo de leitura: 9 minutos

O tal do “Caminho Crítico” tem aparecido bastante nos últimos posts.

Apesar de seu nome revelar bastante sobre o que se trata, ele pode guardar uma surpresinha ou duas.

Por isso, fizemos guia completo para ensiná-lo a dominar esse método!

Para começar, o que é o Caminho Crítico?

pessoas percorrendo um caminho crítico

O Método do Caminho Crítico é um algoritmo baseado em cálculos para programar um conjunto de atividades do projeto.

A técnica essencial para usar CPM é construir um modelo do projeto que inclua os seguintes itens:

* Uma lista de todas as atividades necessárias para completar o projeto;
* As dependências entre as atividades;
* A estimativa de tempo (duração) que cada atividade levará à conclusão.

Com esses itens, o CPM geralmente calcula o caminho mais longo das atividades planejadas até o final do projeto e o ponto de início e de conclusão que cada atividade pode ter sem que prolongue o projeto como um todo.

Esse processo determina quais atividades são “críticas” (no caminho mais longo) e quais possuem folga (que não atrasariam o projeto caso fossem adiadas).

O Caminho Crítico em um projeto simples

O caminho crítico em um projeto

Para ilustrar o conceito, vamos apresentar um projeto muito simples: pendurar um espelho na parede.

O que você deve fazer para completar com sucesso esse projeto?

Vamos definir e listar todas as tarefas que precisam ser feitas para que o projeto seja concluído.

* Escolher um lugar na parede;
* Comprar parafusos e buchas;
* Escolher um espelho;
* Fazer furos para os parafusos;
* Colocar buchas nos furos;
* Fixar os parafusos nas buchas;
* Pendurar o espelho.

Se pararmos para pensar, algumas dessas tarefas não podem começar antes que outras sejam concluídas (por exemplo: se tentarmos pendurar o espelho sem ter antes furado a parede, colocar as buchas e fixar os parafusos nas buchas, o espelho irá cair).

Ou seja, temos tarefas que dependem da conclusão de outras. Veja o gráfico abaixo:

As ações “fazer furos para os parafusos”, “colocar buchas nos furos” e “fixar os parafusos nas buchas” formam uma seqüência de tarefas que devem ser realizadas em uma ordem específica, uma após a outra, para garantir um resultado bem sucedido.

Tais tarefas são chamadas de “atividades sequenciais”.

Então, essas três tarefas, juntamente com o início do nosso projeto (“escolher um lugar na parede”) em nosso exemplo, são as etapas críticas mais importantes que devem ser tomadas para chegar à solução adequada para o nosso problema.

Essas ações serão colocadas no seu caminho crítico para este projeto.

Portanto, o conceito essencial por trás da Análise do Caminho Crítico é que você não pode iniciar algumas atividades até que outras sejam concluídas.

Essas atividades precisam ser completadas em uma seqüência, cada etapa sendo mais ou menos completa antes que a próxima etapa possa começar.

Captou a ideia? Então continue lendo este post que vamos aprofundar ainda mais nesse conceito!

O caminho crítico consiste na sequência mais longa de atividades do projeto, do início ao fim, que deve ser iniciada e completada exatamente como planejado para garantir que o projeto seja concluído dentro do prazo.

As atividades no caminho crítico devem ser gerenciadas com muita atenção.

Se os trabalhos no caminho crítico “saírem do trilho”, ações imediatas devem ser tomadas para recuperar o projeto sem extrapolar os prazos.

Caso contrário, a conclusão de todo o projeto estará comprometida.

Imagine que você tenha um projeto que demorará 300 dias para ser concluído.

Se a primeira atividade no caminho crítico for atrasada em um dia, o projeto levará 301 dias para ser concluído, a menos que outra atividade no caminho crítico possa ser concluída um dia antes.

Portanto, o caminho crítico é simplesmente todas as tarefas que determinam a data final na agenda do projeto.

Pode haver mais de um caminho crítico em um projeto, de modo que vários caminhos sejam executados em paralelo.

Por exemplo, no nosso caso, “escolher o espelho” e “pendurar o espelho”, bem como “comprar os parafusos”, “fixar os parafusos nas buchas” e “pendurar o espelho” formam outras seqüências de tarefas que também são importantes para para concluir o projeto.

O que é “restrições de recursos” e por que isso é importante?

Restrições de recursos no caminho crítico

Os prazos de caminhos críticos tradicionais são baseados em dependências causais (lógicas).

Já aprendemos como funcionam as dependências (não podemos fixar os parafusos na parede sem antes ter furado buracos e colocado buchas nesses buracos), mas isso não é tudo: um projeto pode ter limitações de recursos, que também devem ser levadas em consideração.

Essas limitações podem criar mais dependências, e essas dependências são chamadas de “restrições de recursos”.

Então, se você trabalha em uma equipe, o trabalho de um projeto é divido entre os membros dessa equipe.

No nosso caso, enquanto você está escolhendo um lugar na parede e fazendo os buracos, um dos seus colegas pode sair e comprar os parafusos, e outro pode sair e escolher um espelho.

Ou seja, as tarefas podem ser feitas em paralelo.

Mas se você for a única pessoa presente e precisa executar o projeto sozinho, você tem uma restrição de recursos (a não ser que você seja o Madrox, dos X-Men, você não pode ao mesmo tempo fazer um buraco na parede e sair comprar um espelho e os parafusos).

Então, nesse caso, seu caminho crítico seria bastante diferente do que seria se estivesse trabalhando em uma equipe.

Ou seja, seu cronograma vai variar de acordo com os recursos que você tem à sua disposição, e as tarefas que podem ser trabalhadas paralelamente.

Contudo, cuidado: caso um recurso venha a eventualmente faltar enquanto você estava contando com ele, o caminho que seria mais curto pode acabar se tornando ainda mais longo!

Agora que você já entendeu o que é o Caminho Crítico de um projeto, e como os recursos disponíveis para o seu projeto impactam nesse Caminho Crítico, você está pronto para o próximo passo: calcular os prazos do projeto!

Para isso, não perca o foco e continue lendo este post!

Como já falamos anteriormente, em gerenciamento de projetos, um caminho crítico é a sequência das atividades do projeto que somam a duração total mais longa.

Isso determina o menor tempo possível para se completar o projeto.

Voltando ao nosso exemplo, vamos presumir que você não tem apoio de nenhum colega para pendurar seu espelho na parede.

Então você precisa estimar o tempo para concluir cada uma das tarefas. Além disso, você determina também uma estimativa de quando vai iniciar essa tarefa.

Veja nosso exemplo de como isso pode ser feito:

Agora, se somarmos toda a duração das tarefas críticas, obteremos o tempo aproximado que será necessário para que todo o projeto seja concluído – 1 hora e 26 minutos.

Adicione a duração à hora de início, e você poderá calcular o tempo de conclusão do projeto – no nosso exemplo, o projeto seria concluído às 10:26 da manhã.

Flexibilidade no Caminho Crítico

O método do caminho crítico foi desenvolvido para projetos complexos, mas previsíveis.

No entanto, na vida real, raramente os projetos são assim tão previsíveis.

Seguir essas dicas somente não vai garantir que seu projeto esteja livre de falhas e de atrasos.

Pois, como dissemos anteriormente, qualquer atraso de uma atividade no caminho crítico afeta diretamente a data planejada para a conclusão deste.

Mas novos requisitos podem aparecer no meio do caminho, e isso pode trazer novas restrições de recursos.

Vamos supor que você está planejando redecorar sua sala de estar, junto com sua esposa.

Suas tarefas nesse projeto são:
* Se livrar da mobília velha;
* Consertar o telhado;
* Pintar as paredes;
* Instalar a nova mobília.

Sua esposa ficou encarregada das seguintes tarefas:
* Escolher as novas cortinas;
* Pendurar as novas cortinas.

As tarefas das cortinas formam um subprojeto, e podem ser tratadas como um caminho não-crítico.

Calma, não estamos desmerecendo sua esposa, é que ela pode “escolher as novas cortinas” e “pendurar as novas cortinas” a qualquer momento antes do final do seu projeto.

Portanto, essas tarefas têm flexibilidade na data inicial e final, ou seja, “flutuam”. Essas tarefas são paralelas e não serão colocadas no caminho crítico.

Veja como todo o projeto ficaria em um Gráfico de Gantt:

No entanto, mesmo que não esteja no caminho crítico, se alguma dessas tarefas paralelas atrasar muito, o projeto todo poderá não ser concluído a tempo.

Portanto, você sempre deve manter uma atenção nas tarefas paralelas.

Agora, vamos supor que a tarefa de escolher as cortinas levou mais tempo do que o esperado inicialmente.

Isso irá atrasar o final do projeto, como podemos ver a seguir:

Sua reforma está incompleta sem as novas cortinas, de modo que o caminho que anteriormente não era crítico passa a ser crítico para a conclusão do projeto.

O caminho crítico inicial então muda.

Para evitar esse tipo de situação, dê sempre uma olhada na linha de tempo de seu projeto.

Essa é a única maneira de você saber exatamente aonde está seu projeto em um determinado momento, e se ele será entregue conforme planejado inicialmente – e se não for, o que pode ser feito para mitigar o atraso.

Importante: todos os indicadores podem ser monitorados com o Dashboard. E também pode ser colocado que quando os indicadores são monitorados, a probabilidade de correção é mais fácil.

E aí, acredita que o método do caminho crítico vai ser eficaz para seus projetos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *