Planejamento Estratégico: descubra as oportunidades para sua empresa

Tempo de leitura: 4 minutos

O planejamento estratégico de uma empresa começa por decidir quais oportunidades merecem tempo, pessoas e dinheiro e quais devemos deixar passar.

Mas como saber quais são as melhores e as piores oportunidades?

Segundo Michael Porter, escritor e professor da Harvard Business School, “a essência da estratégia está em escolher o que não fazer”.

Bonito isso, né? Levando essa frase ao extremo, isso significa, por exemplo, decidir vender uma empresa para adquirir outra.

No dia a dia, quer dizer deixar algumas iniciativas em segundo plano a fim de concentrar a maior parte dos seus recursos em uma área chave.

O problema é que alguns mitos podem dificultar bastante a sua compreensão do que é realmente estratégico para sua empresa:

Planejamento Estratégico: descubra as oportunidades para sua empresa

Produtividade significa realizar o máximo possível no menor tempo.

Mas o seu objetivo deve ser mais que isso: deve ser atingir a produtividade estratégica, isto é, fazer benfeito só as coisas certas – e deixar outras por fazer.

O impasse é que você precisará sacrificar a sensação de confiança depois de alcançar um objetivo, para deixar projetos incompletos.

Agora, você terá de lutar contra a sua aversão à perda e dizer adeus a um projeto que já tomou muito tempo e dinheiro.

Talvez você tenha de passar pela dor de dizer ao seu time ou a alguém querido que sua grande ideia ou toda uma área foi aposentada, em favor de uma ideia mais eficiente.

Sem estratégia, ser produtivo não faz sentido.

Em suma, é como diz Peter Drucker: “Não há nada tão inútil quanto fazer de forma eficiente aquilo que não deveria ser feito de forma alguma”.

Por isso, seu próximo desafio é descobrir quais são as coisas certas. Mas você pode topar com outro mito.

Um exercício rápido: liste todos os projetos e tarefas em que sua equipe está trabalhando agora.

Se fizer isso à mão, pode demorar muito, e é por isso que recomendamos usar o Runrun.it, um software de gestão de tarefas.

Também indicamos o uso da Matriz GUT (Gravidade, Urgência e Tendência), que em um próximo post vamos aprofundar mais esse assunto.

Em seguida, risque todas as tarefas que você não considera importantes.

Não estranhe se não conseguir riscar nenhuma. Isso acontece porque todos os projetos em que sua equipe está trabalhando são importantes para alguém, de alguma forma.

Todos eles agregam valor – mesmo que de forma vaga. Por isso, o seu trabalho é decidir onde se focar.

Enquanto a maior parte das equipes trabalha desnorteada, acumulando horas extras para concluir um projeto importante após o outro, equipes produtivas e estratégicas decidem quais projetos mais contribuirão para atender ao planejamento estratégico da empresa.

O restante, embora também importante, deve esperar.

De acordo com o professor Michael Porter, assimilar os pensamentos mais recentes, adotar as tecnologias mais modernas, tudo isso é muito importante, mas é só o começo.

“Se existe uma máquina ou sistema que pode mudar nosso trabalho, devemos comprar.

Se há novas formas de organizar nossa força de vendas, também devemos adotá-la.

Temos que aprender, trazer para a nossa empresa e implantá-la.

Isso é eficiência operacional e, felizmente, todo o mercado pode alcançá-la – inclusive seus concorrentes.

Por isso, para ser bem-sucedida, uma empresa deve ir além e entender quem é e o que a diferencia”, ressalta.

Mas antes, você deve esquecer de vez o próximo mito.

Muitas empresas tentam descobrir a forma ideal de concorrer: pelo melhor produto/serviço, marketing, interação com o cliente, cadeia de suprimentos etc.

Mas essa fórmula de sucesso não existe e, pior, pensar assim alimenta uma concorrência destrutiva, na qual ninguém consegue vencer.

“É uma competição de soma zero: você e o concorrente estão oferecendo a mesma coisa.

Os consumidores não querem saber disso, eles querem escolher.

Se você não oferece algo diferente, ele escolhe na base do preço.

E isso essencialmente reduz a lucratividade do negócio”, diz.

Porter aconselha a criar uma competição de soma positiva: “Você oferece uma coisa, seu concorrente outra e ambos podem ganhar. Seu sucesso não depende do fracasso alheio”.

Dessa forma, todo mercado cresce, porque necessidades diferentes são atendidas de forma eficiente.

Como você viu, criar um planejamento estratégico requer escolhas.

Mas você tem tido tempo para tomar suas decisões com segurança?

Experimente os dashboards da Gumga para gerenciar seus projetos e tarefas, e ganhe tempo com os relatórios automáticos de atividades e de custos.

E ainda aumente sua produtividade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *